Blog

Home  /  Dicas   /  Porque 2020 é o ano mágico para conhecer o Japão [E está ao alcance de todos!]

Porque 2020 é o ano mágico para conhecer o Japão [E está ao alcance de todos!]

Que tal assistir in loco a próxima edição dos Jogos Olímpicos que acontecerá na cidade de Tóquio em 2020, dos dias 24 de julho a 9 de agosto? Com planejamento, é bem possível atingir esse objetivo e a Sooner está aqui para isso!

Hoje, todos os olhos do mundo estão voltados para a Rússia e será assim até 15 de julho, dia da grande final da 21ª edição da Copa do Mundo de futebol. Você é um desses fãs ardorosos dos principais eventos esportivos que acontecem pelo mundo? Mais de 400 mil turistas são esperados durante o torneio.

Eventos como esse são fascinantes e fazem parte do roteiro da viagem dos sonhos de muita gente. Os japoneses prometem fazer das olimpíadas o evento mais bem organizado, tecnológico e multicultural da história dos jogos. [Além, é claro, da riqueza gastronômica e cultural que um dos países mais encantadores do mundo oferece, não é verdade?]

[Já pensou você, daqui a dois anos, em solo japonês, celebrando o esporte e a confraternização dos povos?] Para que nada dê errado, fizemos uma espécie de passo a passo com as principais dicas e informações.

 

PASSO A PASSO PARA IR À TERRA DO SOL NASCENTE!

Cartão de Crédito NÃO!

Esqueça o cartão de crédito no Japão. A grande maioria dos lugares só aceita dinheiro e as taxas de IOF são muito caras. Só as lojas estrangeiras e grandes bares e restaurantes aceitam cartões internacionais. Além disso, muitos passeios e lugares em Tóquio são gratuitos, pesquise bastante antes de viajar.

Dica importante: troque o real por iene aqui no Brasil e leve 10 mil reais trocados por pessoa pelo menos, porque esse valor vai garantir a sua estadia sem nenhum problema com o pessoal da imigração (na hora de preencher a solicitação de visto, é preciso apresentar comprovação bancária de renda de 10 mil reais, mostrando condições de bancar a viagem).

Outra coisa bacana do Japão é que estrangeiro não precisa pagar impostos das compras. As notas são carimbadas no passaporte e você pode pedir o reembolso de cada taxa no aeroporto, antes de voltar.  Portanto, aproveite os lugares ‘tax free’ para comprar suas lembranças.

 

Modem de WiFi SIM!!!

WiFi grátis não existe no Japão e os hotéis cobram caro pela diária. Então, não se esqueça: Alugar serviço de modem de WiFi é imprescindível para se locomover porque são poucos os japoneses que falam inglês!

O modem de serviços básicos de internet custam entre R$ 25 e R$ 30 por dia e podem ser adquiridos já no aeroporto. Há opções de chips locais, mas esses servem apenas para internet.

Alguns aplicativos também são essenciais para transitar pelo Japão sem ter que ficar fazendo mímica o dia inteiro para conseguir informações. Experimente o Hyperdia, tanto para iOS quanto para Android.

 

Viagem cansativa

Passagens de ida e volta São Paulo/Tóquio custam em média R$ 5 mil, mas as promoções online reduzem o valor em até 40%. Fique atento aos principais sites de venda e compre o quanto antes para aproveitar o melhor preço.  

Não existem voos sem escalas para o Japão partindo do Brasil e podem durar mais de 30 horas, dependendo do local de partida e das conexões. Portanto, use roupas confortáveis, tome bastante líquido para não desidratar e não fique sentado a viagem toda!

 

Se for pelos EUA, lembre-se do visto americano

De todas as opções de rotas que saem do Brasil, a mais barata é via Canadá. Se a viagem tiver conexão nos Estados Unidos, não se esqueça do visto de trânsito que custa cerca de R$ 400.

Além das exigências com os custos da viagem, o visto japonês tem suas particularidades. Primeiro de tudo, preencha a solicitação online no site do consulado japonês do seu Estado. Junto com o passaporte e a comprovação bancária, é necessário também apresentar a declaração pessoal de imposto de renda, mesmo se for dependente ou em caso de isenção. Entre emissão e taxas, o visto custa R$ 240 e vale por 3 meses.

Detalhe importante: o visto autoriza apenas uma entrada em solo japonês. [Se a sua viagem inclui outros países próximos, deixe para visitá-los antes ou depois.] Uma vez fora do Japão, é impossível retornar sem um novo visto!

Voo com conexão é uma ótima oportunidade para conhecer um lugar que não estava nos planos. Pesquise se é possível fazer pequenos passeios durante o dia ao invés de passar horas intermináveis dentro do aeroporto! [Normalmente, os chamados ‘day tours’ são bem baratos e valem muito a pena!]

 

Faça o roteiro completo

É impossível conseguir o visto japonês sem informar os detalhes de sua estadia no país. O formulário do cronograma de viagem está disponível para download no site do consulado e precisa ser preenchido completamente, mesmo que o seu roteiro mude durante a viagem.

[Se a ideia, por exemplo, é passar alguns dias em Tóquio e ir para Osaka e Nagoya antes de voltar para acompanhar os jogos na capital, isso tudo precisa ser informado!]

O Go Tokyo! e o Japan City Guide são ricos em informações e ótimos para ajudar na hora de montar o roteiro!

Os preços dos ingressos também já foram divulgados e custam entre 2000 ienes para um dia de competição em uma das arenas (aproximadamente R$ 70) e 288 mil ienes para acesso a todas as arenas e cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos (ou US$ 2640). Há opções de pacotes disponíveis na internet.

Hospedagem

Para se sentir em ‘casa’ no Japão, procure um ryokan que é semelhante a uma pousada no Brasil, mas com a cara de uma casa japonesa. A estadia de um ryokan 3 estrelas, por exemplo, sai entre R$ 350 e R$ 400. Já a rede hoteleira é, de fato, um pouco mais cara. Para ter uma ideia, a diária em um hotel 4 estrelas em Tóquio não sai por menos de R$ 700.

Se você for mochileiro, opte por algum serviço de hostel ou os famosos hotéis-cápsula, bastante confortáveis e bem mais em conta (em média, R$ 120). Os hóspedes passam no máximo 9 horas nesse tipo de local, que dá direito a banho e kit higiene. Alternativa original para aqueles que vão ficar um dia em cada cidade.

Já os apps como o AirBnb sempre são opções, procure por habitações em bairros no entorno da Estação Central, como Ginza e Hibiya, ou em regiões atendidas pelas linhas circulares.    

 

Use e abuse dos trens e do metrô

A rede de trens urbanos de Tóquio é uma das mais eficientes do mundo, assim como o metrô e o ônibus. Mas, evite ao máximo os horários de pico, principalmente entre 5 e 6 da tarde. Com planos de 7, 14 ou 21 dias, o Japan Rail Pass é um cartão individual de trem que dá direito a usar qualquer linha da rede que cobre praticamente o país todo.

Os preços são um pouco salgados, é verdade (de R$ 800 a R$ 2 mil). Mas, acredite, vale muito a pena! Por ser de uso exclusivo de estrangeiros, o cartão só pode ser comprado fora do Japão.  

Para quem for ficar apenas em Tóquio, a melhor opção é comprar cartões de passes diários (entre R$ 50 e R$ 60) que atendam a todos os sistemas de transporte e toda a região metropolitana. O serviço de transporte público no Japão é bastante confortável, extremamente pontual e os bilhetes também podem ser comprados pela internet.

 

Alimentação

Para ter a melhor experiência gastronômica de Tóquio não deixe de visitar Tsukiji, localizada no centro de Tóquio com estação de metrô de mesmo nome. A região abriga o maior mercado de peixes do mundo e está repleta de cafés, bons restaurantes e pequenos e grandes mercados.

Se você é daqueles com todas as habilidades de um sushiman, a região é o lugar ideal para comprar seus ingredientes. Nas lojas de conveniência chamadas de Konbini, também é possível encontrar de tudo e comer uma boa refeição por até R$ 20.    

[Agora, se a ideia é não perder tempo e gastar pouco, a região metropolitana de Tóquio possui muitas opções de restaurantes fast-food japoneses e estrangeiros.] Além dos famosos restaurantes Tachigui Soba, onde as pessoas comem de pé mesmo, sem cerimônia, os mercados servem refeições que custam de R$ 30 a R$ 40. Boa pedida!

 

Bagagem

Diferente de outras cidades ao redor do mundo, Tóquio não possui assim tantas opções para compras a preços muito baixos. No caso das roupas, uma boa solução é utilizar os serviços de lavanderia, muito baratos e bastante comuns, inclusive nos hotéis. Leve pouca roupa e aproveite esse serviço!

Saiba que, exceto no caso de roupas e aparelhos eletrônicos, os produtos comprados por estrangeiros não podem ser usados no Japão. Guarde na mala e abra apenas quando voltar, ok?

 

 

E ENTÃO, VAMOS AJEITAR TUDO PARA A VIAGEM DOS SONHOS NO JAPÃO?

Dois anos são mais do que suficientes para preparar uma viagem de maneira simples e tranquila. [Nos deixe fazer parte dessa experiência com você!]

[Partiu Tokyo 2020!!!]

Projeto: Olimpíadas Tokyo 2020

Valor Final: R$21.000,00

Prazo do Projeto: 01/06/2020

Investimento Inicial: R$5.000,00

Meta Mensal: R$605,36

 

Baixe nosso aplicativo e entre em nossas redes sociais!

Facebook / Linkedin

 

YOI TABI (良い旅)

(traduzindo, Boa Viagem!)

Deixe seu comentário