Blog

Home  /  Dicas   /  O consumo consciente de cada um pode fazer a diferença para todos!

O consumo consciente de cada um pode fazer a diferença para todos!

Você sabia que pequenas mudanças de comportamento dentro de casa podem fazer a diferença para a economia do planeta? E não estamos aqui falando apenas de poupar energia elétrica, reciclar o lixo e reutilizar a água. Estamos na Semana Mundial do Meio Ambiente e há muitas outras ações e pequenas atitudes que podem ser incluídas em sua rotina para contribuir com um ecossistema mais limpo e que também afetem positivamente o ciclo econômico e financeiro ao redor do globo, começando pela sua própria casa.

MAS COMO ISSO É POSSÍVEL?

É simples! Ter uma boa gestão financeira tem tudo a ver com ações de consumo consciente. Assuntos voltados a uma vida amplamente mais saudável estão muito mais em voga hoje em dia, só que muitas pessoas acabam desistindo da ideia no meio do caminho por acharem que os esforços a serem feitos não valem a pena. [Se você consome de modo consciente, você não gasta menos simplesmente, mas gasta melhor].

Na teoria, essas mudanças podem parecer difíceis, mas a prática traz inúmeros benefícios para o meio ambiente e também para o seu bolso. A primeira coisa a fazer é pensar em uma vida sem desperdícios, trazendo para dentro do seu cotidiano a prática dos 5Rs da Sustentabilidade e Educação Ambiental: Repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar.

 

[TEMOS UMA PROPOSTA!]

Para ter uma ideia melhor desses benefícios, sugerimos que você faça um teste dentro de casa. Listamos alguns exemplos práticos de como agir em prol da saúde econômica do seu ‘ecossistema’ sem ter que abrir mão do conforto e da comodidade de sua vida.

 

PRATIQUE OS 5Rs TODOS OS DIAS!

 

REPENSE!

– Quem nunca gastou demais com produtos inúteis e adquiridos por impulso? Antes de comprar qualquer coisa, repense se é algo realmente importante.

– Mude seus hábitos de compra! Procure sempre por alternativas como pequenos produtores locais de alimentos, por exemplo.

– Verifique quais os danos que os produtos possam causar à sua saúde e ao meio ambiente.

– Quando for redecorar a casa, considere sempre o uso de materiais recicláveis e que não agridam o meio ambiente, como tintas e outros produtos para reforma.

– Reutilize os móveis e objetos de plástico, metal e madeira, transformando-as em novas peças de decoração para dar uma cara mais pessoal à sua casa.

 

RECUSE!

– Na hora de comprar alimentos, priorize mercadorias de empresas que tenham compromisso com o meio ambiente e com embalagens recicláveis ou biodegradáveis.

– Aproveite para economizar com produtos perto do vencimento quando forem consumidos imediatamente ou em poucos dias.

– E lembre-se sempre das ecobags para transportar os alimentos do supermercado!

– Evite usar as sacolinhas de plástico ou os sacos de papel. Se por acaso for inevitável, lembre-se de reciclar esses materiais.

– Não descarte em qualquer lugar, principalmente em locais abertos de praias e parques que estejam sujeitos à ação de chuvas e enchentes.

 

REDUZA!

– O ditado ‘o barato, às vezes, sai caro’ nunca foi tão apropriado como agora. As opções para reduzir o consumo são inúmeras, como alimentos a granel e embalagens econômicas, além de produtos descartáveis e reutilizáveis.

– Sempre que possível, opte por produtos de melhor qualidade e maior durabilidade, assim você economiza e ajuda na redução de produção de lixo.

– Reduzir o consumo de energia também é fundamental. As alternativas de energia renovável estão mais acessíveis como painéis solares e telhados ecoeficientes.

– Se essas opções não forem viáveis, opte por eletrodomésticos que funcionem com menor consumo de energia, utilize lâmpadas de LED e regule bem o ar condicionado.  

 

REUTILIZE!

– Nesse caso, a criatividade é a dica da vez! Muitos produtos possuem várias utilidades e podem ser reaproveitados de diferentes formas e por muito tempo.

– As embalagens plásticas podem ser utilizadas para armazenar sobras das refeições.

– Já as caixas de papelão e o plástico bolha que reveste equipamentos eletrônicos podem ser reutilizados para armazenar louças e objetos mais frágeis.  

– Opte sempre pelo conserto de aparelhos usados e seminovos ao invés de comprar utensílios novos para substituir aqueles que estiverem quebrados.

– Não se esqueça de doar roupas que estiverem esquecidas nos armários e criar novas funções para toalhas e cobertores mais velhos.    

 

RECICLE!

– A primeira atitude a ser tomada é a coleta seletiva. Separe os resíduos que podem ser reciclados do lixo produzido em casa para economizar recursos naturais e energia.

– A reciclagem do lixo é fundamental para a redução da poluição e ajuda a prolongar a vida útil dos aterros sanitários de sua região.

– Se o seu condomínio ou associação de bairro não faz parte da ronda de coleta seletiva, fale com a administração de seu condomínio e procure os serviços públicos responsáveis.

– Pratique a compostagem doméstica, reaproveitando resíduos orgânicos de alimentos. As sementes de frutas e vegetais servem para hortas caseiras, por exemplo.

– A água possui multifuncionalidades é pode ser reutilizada por várias vezes! A água do banho pode ser retratada em casa e reutilizada para limpar a laje, o teto ou a garagem.

– Já a água da piscina infantil pode ser usada para irrigar plantas e limpar o ambiente.  

ECONOMIA CIRCULAR

Em meio aos vícios que caracterizam a atual sociedade de consumo, vários pensadores contemporâneos passaram a considerar fundamentais algumas mudanças de comportamento, pensando na reestruturação do planeta. Com base nesse pensamento, foi criado o conceito de economia circular, que se utiliza dos principais pontos de teorias como a economia de performance, ‘blue economy’ (ou economia azul), ecologia industrial, design regenerativo e a ideia de ‘cradle to cradle’ (ou do berço ao berço) para estabelecer um conceito que leva em conta a inteligência da natureza nos processos produtivos. Trocando em miúdos, a economia circular defende a utilização de resíduos naturais como insumos para a produção de novos produtos.   

Para a economia circular, todos os resíduos produzidos pelo consumo humano devem servir de nutriente para um novo ciclo produtivo, como acontece naturalmente no meio ambiente, que se aproveita dos restos de frutas consumidas pelos animais que viram adubo para plantas durante a decomposição. A lógica da economia circular é imaginar que, na natureza, um ecossistema reaproveita a energia do outro para continuar a existir, precavendo-se contra a interferência negativa do ser humano para manter o equilíbrio.

Deixe seu comentário